sábado, 24 de maio de 2008

"O Homem rende-se facilmente quando o pecado se veste de virtude."

E a verdadeira virtude não é absoluta... tantas vezes agimos com base em algo que nos foi imposto acreditando que assim estamos a agir correctamente... esquecemo-nos de que apenas a tal "voz interior" tem o poder de nos ajudar a distinguir o que é certo do que é errado, pois cada situação tem as suas próprias características e carece de uma análise a cada momento, que só uma mente lúcida, meditativa, seja lá de que forma for que ela se tornou meditativa (e existem infinitas maneiras de ela se tornar meditativa) é capaz de fazer... ou, pelo menos, quanto mais lúcida, mais capaz de o fazer se torna...

Sem comentários:

Enviar um comentário