segunda-feira, 19 de janeiro de 2009


"As pessoas sobre as quais escrevo estão entre as mais íntimas que conheço, pessoas que foram membros do grupo religioso conhecido como Testemunhas de Jeová. Estou certo, e há evidência para comprová-lo, de que a experiência delas não é de maneira alguma única, que existe uma inquietação similar de consciência entre pessoas de vários credos. Elas enfrentam a mesma questão com a qual Pedro e João e homens e mulheres de séculos posteriores se confrontaram: a luta para apegar-se fielmente à sua consciência pessoal em face de pressão por parte da autoridade religiosa."

Por isso creio que as religiões não fazem sentido... por isso geram tantos conflitos... não deve haver conflito dentro de nós... bem sabemos, segundo os "psis" que nós, seres humanos, somos constituídos com base em conflitos e na sua sucessiva resolução, mais ou menos satisfatória... e dessa solução de conflitos internos (em educação chamamos-lhe conflitos cognitivos) depende a tranquilidade interior, a auto-estima e a auto-confiança de cada um... enfim, o seu bem-estar, a sua felicidade... mas para quê acicatar esses já constantes conflitos que temos dentro de nós (mesmo os que crêem não os possuir) com dogmas e ideias pré-concebidas? Assim haja uma verdadeira intenção de encontrar uma moralidade válida, chegaremos a esta, sem a ajuda de qualquer religião... teremos tantas religiões quantas cabeças pensantes neste Planeta... e com certeza teremos menos conflitos do que agora!! Até porque, para mim, a melhor forma de encontrar essa moralidade é mesmo muito fácil: basta pensar que a nossa liberdade termina quando começa a dos outros...

Sem comentários:

Enviar um comentário