sábado, 4 de abril de 2009

SPOOK - Parte VI


Pág.45

"Harvey é mais conhecido por ter descoberto que o sangue circula num sistema fechado de artérias e veias, uma proeza que conseguiu ao dissecar cadáveres, incluindo o da sua irmã. Ficará aliviado por saber que, para o seu trabalho pioneiro em reprodução, Harvey deixou as mulheres em paz. Neste campo, virou-se para um grupo de veados que passavam, sempre cautelosos, pelos terrenos do seu patrão, o Rei Carlos I. Enquanto estudante dos ensinamentos de Aristóleles, harvey esperava encontrar o coágulo indispensável quando dissecou o útero de um veado. Ficou surpreendido por encontrar, em vez disso, as origens de um pequeno veado, embriões e fetos revestidos por sacos que ele, erradamente, identificou como ovos. O ovo, acreditava Harvey, continha os predicados de "tudo o que está vivo". O esperma foi despromovido para o papel de uma espécie de "contágio", que daria origem à geração humana como um vírus a uma constipação.

E como é que a força huma, a alma, entra para o ovo? Aqui, a ciência abandonou Harvey e ele recorreu à religião: "é um dom... atribuído pelos céus, pelo Sol ou pelo Deus Todo-Poderoso".

Como a maioria dos biólogos da sua altura, Harvey estava limitado pelo seu equipamento. Não podia ver o que acontecia ao nível celular. Não podia ver o esperma. Tinha uma lupa, mas do que ele necessitava era de um microscópio."

Sem comentários:

Enviar um comentário