quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Poderosos


Podemos escolher os nossos governantes... mas ao escolhê-los, não podemos ser totalmente responsáveis pelas suas acções, pois isso só o próprio. É por isso que creio que não se deve subscrever totalmente a posição de outrem, seja político, seja quem for. O nosso destino não está directamente dependente dos nossos governantes, mas de algo maior: o Universo. E é com ele que nos devemos tentar entender no que toca a dar e a receber.

De facto, acredito que é possível ter governantes honestos, embora a sua missão seja mais complexa do que a dos demais, já que fazer a coisa certa, assim como percorrer o caminho menos percorrido, implica geralmente percorrer uma distância maior, fazer algo mais difícil. No entanto, nada é ao acaso, neste mundo: os resultados também são mais prolongados e mais consistentes.

De facto, nenhum factor externo determina o homem; o homem possui dentro de si aquilo que precisa para escolher correctamente; o resto é uma questão de consciência e de inteligência. Não é o poder que corrompe o homem, mas o homem que liberta o que tem de negativo face ao poder. É, aliás, frequente assistirmos a esta realidade: quando temos algo de muito positivo, quando temos tudo e mais alguma coisa, tendemos a perder o rumo e deixar sair para fora o nosso pior. É preciso uma atitude vigilante para não permitir esta mesma desorientação.

Por vezes é difícil escolher quem nos governar... é que das opções que existem à escolha, nenhuma consegue escapar às malhas do poder. Por melhores intencionados e mais idealistas que sejam. Seria bom se cada ser humano se soubesse governar a si mesmo. O mundo dispensaria governantes.

Inspirado aqui.

6 comentários:

  1. xiça ... eu este ano vou votar bloco de esquerda ahahahahahaha...
    são os unicos que ainda não sediludiram ninguem e têm gente inteligente á brava ...
    vais ver ...
    caneco vira o disoc e toca o mesmo, pelo menos deposi posso-me quixar a vontade sem ficar com nenhum tipo de peso na consciência ahahahahaha

    ResponderEliminar
  2. Hummm... não desiludiram ninguém porque não tiveram oportunidade!! :D Confesso-te que cada vez mais os acho uns demagogos de primeira... não confundamos gente que fala bem como o Francisco Louçã com gente inteligente... não gosto cá de fundamentalismos e parecem-me cada vez mais fundamentalistas, só não têm cassete, se não eram iguaizinhos ao Partido Comunista sempre a repetir as mesmas patranhas...

    Tenho uma vontade tremenda de votar em branco... :P

    ResponderEliminar
  3. Na minha modesta opinião...não há politicos honestos...é sempre a mesma tanga...prometem...prometem...e depois...e depois nada...ai e tal...não deu...nunca se devia prometer o que não se sabe se vai conseguir fazer...e eu ainda não conheci nenhum politico sem promessas...
    Beijo de um anjo

    ResponderEliminar
  4. Pois, querida sonho! És bem capaz de ter razão!! :)

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  5. Existem muitas forças, muitas influências. Mesmo que um governante tenha muito boas intenções, acaba por levar tanta pancada de tantos lados, que acaba por não ter força para fazer o que quer...
    Sad but true

    ResponderEliminar