segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Perdidos


Perdidos andamos todos um pouco; faz parte da nossa essência de ser humano andar perdido. O que pode fazer a diferença é procurarmos de forma activa e empenhada encontrar-nos, com a percepção de que jamais nos encontraremos totalmente, mas o que interessa chegarmos cada vez mais perto (como conseguimos, se o ponto de chegada não existe? – mas existe a percepção do estádio seguinte; o ponto de chegada existe, dentro de nós, para nos ajudar a orientar-nos). É por isso que a caminhada é mais importante que o ponto de chegada, mas também não podemos dispensar este último, sem o sobrevalorizar.

Inspirado aqui.

12 comentários:

  1. Litle Bird :) a caminhada são todos os passos dados até ao ponto de chegada. Todos aqueles que demos, que nos levaram a sítios e pessoas diferentes, que nos fizeram ficar pasmados perante uma descoberta ou não. é a vida... a tal procura. Não me resigno, mas às vezes, parece tudo muito longe.

    bj

    ResponderEliminar
  2. Sempre que caminhamos esperamos alcançar o ponto em que nos sentimos satisfeitos pela caminhada efectuada... sempre.

    ResponderEliminar
  3. Casa nova... mesma coerência e beleza nos textos. :) Parabéns, boa semana!

    ResponderEliminar
  4. Ola..tú sumiu heim e de repente casa nova...tava com saudade...mas amo seu outro espaço tbém...bjbjbj sempre!!!

    ResponderEliminar
  5. olá minha amiga
    ao ler esta tua reflexão fez-m lembrar a minha deriva neste mundo de meros mortais
    ando afastado nem sei porquê
    tenho muitos pensamentos para materializar,mas n consigo expôr todos duma vez
    preciso de tempo pra reflectir
    já m afastei uma vez,mas o gosto pela escrita falou mais alto
    é com mto gosto k t visito
    e só posso pedir desculpa pela ausencia,pk ninguem merece
    vou fazer um esforço pela blogosfera
    n m esqueço de ninguem,nem d ti
    descansa
    beijinho*

    ResponderEliminar
  6. THis Me: a resignação é igual à morte; não a do corpo, mas a da alma, essa sim a verdadeira morte e a mais grave. Enquanto há vida há esperança e os nossos sonhos e os pontos de chegada das nossas caminhadas, por mais longe que pareçam estar, nunca estão demasiado longe para que os possamos atingir... se não não teríamos deles sequer a percepção. ;) Se temos a percepção, é porque, de alguma forma lá conseguimos chegar... :)

    Beijoss!!

    ResponderEliminar
  7. Secreta: claro, porque o ponto de chegada é essencial para compreendermos o ciclo; para que a nossa aprendizagem se complete!

    ResponderEliminar
  8. Muito obrigada, caro amigo Árabe, sinto-me lisongeada com o elogio!! :)

    ResponderEliminar
  9. Cara Sel: do outro lado surgirá aquilo que lá deveria ter existido desde sempre... a seu tempo. :) Beijinhos!

    ResponderEliminar
  10. *@rclight* : não queiras materializar todos os pensamentos de uma vez; deixa-os repousar e aqueles que realmente valerem a pena são aqueles que restarão passado algum tempo. Acalma a tua alma impulsiva e ansiosa; o tempo é um óptimo conselheiro; assim como o silêncio; acabam sempre a trazer-nos as respostas de que necessitamos. Impulsividade e ansiedade são sinónimo de falta de confiança! ;)

    É verdade que amamos a escrita e tudo o que lhe está associado; mas a vida é feita de tantas outras coisas, inclusivamente de pessoas e causas que também necessitam de nós, não é? Além disso, deixar o tempo passar por cima dos assuntos ajuda a clarificar tudo e a acalmar os ânimos, já reparaste? Quando sinto que há coisas que me escapam e que não estou a perceber bem o que se está a passar, gosto de uma retirada estratégica para colocar ideias em ordem e voltar quando já consegui perceber mais alguma coisa... :)

    ResponderEliminar
  11. Velinha: é alto o preço que se paga neste mundo quando nos damos a esse luxo... ao luxo de vivermos refugiados de nós mesmos... na escuridão da inconsciência... :)

    ResponderEliminar