domingo, 25 de outubro de 2009

O Poder da Meditação, Manon Arcand - Religiões



Págs.18 e 19

O declínio da religião católica é outro factor que favoreceu a popularidade da meditação (…), na relação que esta permite estabelecer com o divino, o Absoluto. O cristianismo quase sempre nos apresentou o Absoluto, Deus, como um Ser do Além, inacessível, ao qual deveríamos obediência e que, frequentemente, nos culpabilizava; não nos incitava a experimentá-lo a partir do interior, mas a obedecer-lhe do exterior, como uma criança obedece a um pai que detém a autoridade suprema.

4 comentários:

  1. Querida Spiritual
    É possível experimentar essa ligação. É necessário perdoar. Todos somos errantes no caminho... mas alguns têm uma candeia.
    Um beijo
    Daniel

    ResponderEliminar
  2. Meditar é preciso e muito obrigada pela força no comentário, adoreii!

    Boa semana, beijos!

    ResponderEliminar
  3. Daniel: como diziam os meus professores da escola superior, os erros não devem ser encarados como erros, mas como oportunidades de melhorar... há muitas fontes luminosas pelas quais podemos optar... basta querer ver, querer avançar, querer evoluir...

    ResponderEliminar
  4. Lua: meditamos de cada vez que somos felizes do mais profundo do nosso ser... é tanto maior a nossa meditação, quanto mais profunda a nossa felicidade... meditamos quando estamos entregues a actividades que nos deixam felizes e fazem sentir bem... quando nos esquecemos de nós, do mundo, de tudo... meditar é muito fácil... e é tanto mais fácil quanto mais se pratica, seja de forma formal ou informal... ;)

    ResponderEliminar