sábado, 16 de janeiro de 2010

Amor, Liberdade e Solidão, Osho - Amor, amor, amor!!


“A maior experiência na vida é quando você dá sem quaisquer condições, sem quaisquer expectativas de receber mesmo um simples “obrigado”. Pelo contrário, o amor autêntico, o verdadeiro, sente-se obrigado em relação à pessoa que aceitou o seu amor. Ele poderia tê-lo rejeitado.
Quando você começa a dar amor com um sentimento profundo de gratidão por todos aqueles que o aceitam, ficará surpreendido por se tornar um imperador – já não é um pedinte implorando amor com uma lata vazia, batendo de porta em porta. E aqueles em cujas portas você bate não lhe podem dar amor; eles também são pedintes. Pedintes que pedem amor a outros pedintes e sentem-se frustrados, zangados, porque o amor não chega. Mas isto era inevitável. O amor pertence ao mundo dos imperadores, não ao dos pedintes. E um homem é um imperador quando está tão pleno de amor, pois pode dá-lo sem quaisquer condições.”

“Primeiro esteja cheio de amor, então a partilha acontece. E então a grande surpresa… à medida que você dá, começa a recebê-lo de origens desconhecidas, de lugares desconhecidos, de gente desconhecida, de árvores, de rios, de montanhas. De todos os recantos da existência, o amor começa a derramar-se sobre si. Quanto mais der, mais recebe. A vida torna-se uma dança total de amor.”

Sem comentários:

Enviar um comentário