quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Bicycle


Comecei a meditar sozinha com livros de auto-ajuda. Os que mais me influenciaram foram "Visualização Criativa" de Shakti Gawain e "Um Guia Essencial para a Força Interior". Eles ensinam a meditar fazendo "afirmações", o que algumas pessoas chamam de programação neurolinguística, e que dizem que consiste, através da repetição de palavras, em reprogramar o nosso cérebro de forma diferente, para pensar de uma forma mais positiva. Pessoalmente, não explico essa experiência dessa forma; sinto que escrever frases positivas de forma mais ou menos positiva obriga a minha energia a fluir naquela direcção e a concentrar-se progressivamente cada vez mais. Ao mesmo tempo, sou induzida numa espécie de um transe onde entro em contacto com sentimentos e vislumbres de situações que creio pertencerem a vidas passadas, mas que se trata de algo que procuro ainda explicar. A questão é que a seguir de praticar as minhas meditações, sobretudo nos últimos meses, vêm-me ideias quase sob a forma de revelações e eu sinto que tenho a percepção de coisas que de facto se vêm a concretizar mais ou menos da forma como eu as senti. São coisas pequenas, sou apenas principiante; para dizer a verdade, ainda que pareça estranho, isto não é muito mais do que andar de bicicleta; também precisa de treino e também um vez que se aprende, nunca mais se esquece...

Sem comentários:

Enviar um comentário