sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Verdadeira ajuda


Creio que o crescimento espiritual é um processo individual e que cada um deve tomar conta do seu próprio... podemos interferir para ajudar, de forma coperativa e construtiva... mas se sentirmos que tudo o que temos a dar é para nos afirmarmos como superiores, se o nosso objectivo não for ajudar, mas mostrar ao mundo como somos brilhantes e inteligentes, então não só não o mostraremos, como também não ajudaremos... a verdadeira ajuda vem de um acto abnegado, não de uma tentativa de afirmção pessoal. A verdadeira felicidade vem de sabermos que fizémos alguém verdadeiramente feliz e não que fizémos essa pessoa, por exemplo, sentir-se enganada e traída, mesmo que o nosso objectivo seja tentar ajudar, seja lá de que forma for. Quando digo que devemos fazer a outra pessoa mesmo feliz, não estou a dizer que devamos dizer-lhe uma mentira só para que fique contente... estou sim a dizer que ajudar verdadeiramente requer uma atitude meditativa como eu costumo chamar, mas que não tem directamente que ver com o processo formal de meditação, mas com um estado de profundo entendimento de si mesmo... só podemos ajudar a quem compreendemos e só podemos compreender os outros se antes nos compreendermos a nós mesmos... com traves nos olhos jamais poderemos compreender quem somos na verdade... se escondermos aquilo que somos verdadeiramente, jamais poderemos ser amados por aquilo que somos... e ainda que achemos que se nos mostrarmos como somos seremos odiados, a verdade é que se nos amarmos de verdade, se nos aceitarmos como somos, isso passa para as outras pessoas... ficamos num estado de auto-aceitação em que a nossa alma está tranquila e em paz... e não passaremos desarmonia e dor para os demais... pelo contrário; levar-lhes-emos conforto, não do superficial, do mentiroso, mas do profundo, daquele que faz os demais sentir-se compreendidos e aceites tal como são.

Sem comentários:

Enviar um comentário