domingo, 17 de janeiro de 2010

Amor, Liberdade e Solidão, Osho - Compromisso




Pág.56

“(…) não quero com isto dizer que o amor será fugaz. Há todas as possibilidades de esse amor se aprofundar mais, de o seu amor ter um maior grau de intimidade, de ter algo de poesia e de divino nele. (…) A garantia será interior. Será um compromisso do coração, será uma comunhão silenciosa.
Se aprecia estar com alguém, irá apreciar cada vez mais e mais. Se aprecia a intimidade, irá gostar de explorar a intimidade mais e mais. E existem algumas flores do amor que só desabrocham após uma longa intimidade. (…) Quanto mais tempo levam, mais profundo é. Mas tem de existir um compromisso de um coração para outro coração. Não tem de ser verbalizado, porque verbalizá-lo é profaná-lo. Tem de ser um compromisso silencioso; olho a olho, coração a coração, ser a ser. Tem de ser entendido, não dito.”

Sem comentários:

Enviar um comentário