domingo, 10 de janeiro de 2010

Richard Dawkins - Deus, Um Delírio - Parte V

Pág.10

"A próxima crítica (...) a grande crítica do "testa-de-ferro".

VOCÊ SEMPRE ATACA O QUE HÁ DE PIOR NA RELIGIÃO E IGNORA O QUE HÁ DE MELHOR.

"Você persegue oportunistas grosseiros e incendiários como Ted Haggard, Jerry Falwell e PatRobertson, em vez de teólogos sofisticados como Tillich ou Bonhoeffer, que ensinam o tipo de religião em que acredito."

Se o predomínio fosse só dessa espécie sutil e amena de religião, o mundo sem dúvida seria um lugar melhor, e eu teria escrito outro livro. A melancólica verdade é que esse tipo de religião decente e contido é numericamente irrelevante. Para a imensa maioria de fiéis no mundo todo, a
religião parece-se muito com o que se ouve de gente como Robertson, Falwell ou Haggard, Osama bin Laden ou o aiatolá Khomeini."

Richard Dawkins com a sua insensatez de argumentação faz proliferar críticas pertinentes e bastante bem colocadas; acho que ele mesmo tem a noção disto, pois ele próprio acaba por transcrever para o seu livro críticas que considero muito bem apanhadas, mas para depois nos dar uma argumentação pobre, eu diria mesmo algo ingénua.

Se o problema dele é com os fanáticos religiosos, critique os fanáticos religiosos e não as religiões propriamente ditas e os seus sistemas teóricos. Não me parece que "esse tipo de religião decente contido" seja "numericamente irrelevante; acho que este senhor, que se diz cientista, afinal anda mas é a leste do paraíso... felizmente para a subsistência da nossa espécie, a maioria das pessoas ainda é assim, dessa forma comedida que vê a religião, sendo o fanatismo religioso ainda uma minoria, eu não diria numericamente irrelevante, mas certamente em menor escala do que o contrário, ou talvez já não estivéssemos aqui para contar a história...

Sem comentários:

Enviar um comentário