sábado, 27 de fevereiro de 2010

Amit Goswami - A Física da Alma, As idéias de reencarnação e de sobrevivência à morte são cientificas?

"Será que essas discussões fazem sentido sob a análise científica de nossa época? Décadas atrás, a resposta teria sido obrigatoriamenteum sonoro "não", mas, hoje, não é bem assim. Um dos principais motivos é a existência de bons dados. Referi-me antes a dados relativos a memórias reencarnatórias espontâneas. Muitos desses dados, com alguns de seus aspectos já estudados, tratam de crianças que se recordam de vidas passadas. Foram obtidos muitos outros dados nas chamadas regressões a vidas passadas: sob hipnose, trauma, drogas ou técnicas especiais, as pessoas parecem recordar incidentes de outras vidas. (Para uma análise sucinta, leia Cranston e Williams, 1984.) E muitas das lembranças trazidas à tona foram corroboradas. Em muitos casos, a possibilidade de fraude foi eliminada. Mais importante ainda: as lembranças de outras vidas não são os únicos dados. Experiências de quase-morte — de pessoas que foram trazidas de volta de um estado de morte clínica — corroboram muito bem as descrições da realidade do pós-morte, pelo menos algumas de suas fases, encontradas nos
"livros dos mortos" das antigas culturas. (Um resumo desses livros pode ser encontrado em Grof, 1994.) Aqueles que passam por essas experiências de quase-morte dizem que ficaram fora de seus corpos, passaram por um túnel que leva a outro mundo, viram parentes falecidos há muito, seres espirituais luminosos etc.

Nas últimas décadas, a ciência deu início a uma necessária, mas inesperada reavaliação da sabedoria antiga. Enquanto a tendência geral da ciência, desde o século XVII, consistiu em manter um foco material, nas últimas décadas do século XX, a ciência começou a explorar a arena espiritual, antes marginalizada. Neste livro, vou demonstrar que o recém-nascido paradigma da
ciência é bem harmônico com idéias como Deus, alma, céu, inferno, carma e reencarnação — todo o "pacote", enfim.

Tais idéias são extremamente sutis quando formuladas e compreendidas de maneira adequada. Nossa tendência condicionada é pensar nelas de modo tosco, materialista. Por exemplo, a maioria das pessoas pensa no Céu como um lugar modelado segundo a Terra (como se pode ver nos filmes de Hollywood). As religiões populares costumam retratá-lo dessa maneira e, desde a infância, nós nos tornamos vítimas desse modo de pensar. Mas fica claro que o "outro mundo", caso exista, deve ser radicalmente diferente deste aqui.

A ciência moderna tem dado bastante apoio a uma visão monista de mundo — a de que existe apenas uma substância a formar a realidade. Caso existisse um mundo duplo de substância anímica, como ele poderia interagir com o mundo material? O que pode mediar tal interação? Evidentemente, nem a substância anímica nem a material podem agir como mediadoras. Além disso, será que essa mediação não envolveria a troca de energias entre os dois mundos? Sendo assim, a carga energética do mundo material acabaria mostrando excessos ou deficiências ocasionais, mas a verdade é que isso não ocorre. Que a energia do mundo material é uma constante é uma lei da física — a lei da conservação da energia. Portanto, a sabedoria científica, com razão, consiste em evitar o dualismo da interação (um legado do filósofo René Descartes) em nosso modo de ver a realidade; dualismo e ciência são como
óleo e água, não se misturam.

Assim, a velha ciência destes três últimos séculos nos ensinou que todos os fenômenos são fenômenos de coisas formadas por matéria. É um monismo baseado na idéia de que a matéria está na base de tudo o que existe. Em lugar disso, o novo paradigma postula um monismo baseado no primado da consciência — que a consciência (chamada de Espírito, Deus, Mente de Deus, Ain Sof, Tao, Brahman etc, nas tradições populares e espirituais), e não a matéria, é a base de tudo o que existe; um monismo baseado em uma consciência unitiva transcendente, mas que se torna muitas em seres sencientes como nós. Nós somos essa consciência. Todo o mundo da experiência, inclusive a matéria, é a manifestação material de formas transcendentais de consciência."

Sem comentários:

Enviar um comentário