domingo, 7 de março de 2010

Amor, Liberdade e Solidão, Osho - Amor e Culpa


Pág.109

“Então existe outro estratagema: eles falam de “amor elevado” e destroem o básico. Dizem que o básico tem de ser negado; o amor carnal é mau, o amor espiritual é bom.”

“Alguma vez viu um espírito incorpóreo? Alguma vez viu uma casa sem fundações? O básico é o fundamento do elevado.”

“O básico não tem de ser negado, o básico tem de ser transformado no elevado. O básico é bom – se está preso ao básico o erro é seu, não do básico. Não existe nada de mau no degrau mais baixo de uma escada. Se você está preso a ela, você está preso, é algo em si.”

“E estes estratagemas, criaram muitos outros problemas. De cada vez que você ama, sente-se culpado de algum modo; a culpa surge. Quando há culpa, você não pode mover-se totalmente em direcção ao amor – a culpa impede-o, mantém-no preso.”

“Quando começa a surgir a culpa, começa a sentir-se mal; perde a auto-estima, perde respeito por si próprio. E surge outro problema quando há culpa, você começa a fingir.”

Sem comentários:

Enviar um comentário