quarta-feira, 10 de março de 2010

Amor, Liberdade e Solidão, Osho - Diabo


Pág.113

“Mas é uma estratégia das religiões atirar com as responsabilidades para uma figura imaginária, o demónio, para que você não se sinta a ser condenado, mas indirectamente, não directamente. O Papa está a dizer-lhe que você é o demónio – mas não tem coragem para o dizer, então diz que o demónio é outra coisa, um agente distinto, cuja função é tentar as pessoas.”

Pág.114

“Mas o álcool não é certamente uma tentação do demónio, porque Jesus Cristo bebia álcool – não só o bebia como o permitia aos seus apóstolos. O álcool não é contra o Cristianismo – o Cristianismo aceita perfeitamente o álcool, porque negar o álcool seria colocar Jesus em risco. Jesus não era um membro dos Alcoólicos Anónimos. Ele gostava de beber e nunca disse que beber era um pecado – como o poderia fazer?”

Pág.122

“Quando as igrejas desaparecerem, só então as revistas Playboy desaparecerão, não antes. São sócios no negócio. Parecem inimigos, mas não se deixe iludir. Falam uns contra os outros, mas é assim que as coisas funcionam.”


Pág.123

“Sempre que você está muito reprimido, começa a descobrir interesses perversos. O interesse perverso é o problema, não o sexo.”

“(…) Não tenha nenhuma ideia preconceituosa contra o sexo na sua cabeça, de outro modo, não será capaz de o transcender. As pessoas que transcendem o sexo são pessoas que o aceitam com muita naturalidade.”

“Assim o aspecto mais importante não é como transcender o sexo, mas como transcender esta ideologia pervertida da sociedade, este medo do sexo, esta repressão do sexo, esta obsessão pelo sexo.”

“Se você compreende a vida, se você ama a vida, saberá que o sexo é sagrado, santo.”

Pág.124

“As igrejas estão vazias, os quartos dos amantes estão cheios de Deus:”

Pág.126

“Avance na sua direcção o mais profundamente que puder (do sexo). Enquanto a energia perdurar, avance tão profundamente quanto conseguir, ame tão profundamente quanto puder, e faça disso uma arte. Não é só ser “feito” – esse é o sentido global de transformar o fazer amor numa arte.”

Pág.127

“A pessoa cresce, amadurece através do outro; e chega o momento em que você pode estar só e simultaneamente feliz.”

Sem comentários:

Enviar um comentário