domingo, 4 de abril de 2010

Amor, Liberdade e Solidão, Osho - Consciência


Pág.204

“Com excepção da consciência, nada modifica uma pessoa, absolutamente nada.”

“Através do controlo, você não conseguirá atingir (…) Esse não é o caminho. Você está a lutar com folhas, ramos, a cortá-los aqui e ali. Esse não é o caminho para destruir a árvore do desejo. Á superfície, só existem ramos – ciúme, raiva, inveja, ódio, luxúria. Eles estão apenas à superfície. Quanto mais profundamente você caminha, mais irá entende; eles provêm todos de uma só raiz e essa raiz é a inconsciência.

A meditação significa consciência. Ela corta até à raiz. Então, toda a árvore desaparece por si própria. Então a paixão torna-se compaixão.”

Pág.206

“Se a meditação está em progresso, então o único critério do seu progresso é o amor, o único critério do seu progresso é a compaixão.”

Pág.207

“(…) tornara-se num monge, mas não satisfizera o requisito de se tornar um homem de meditação.”

Pág.208

“A consciência não é um novo hábito; a consciência é viver a vida com consciência, sem estar confinado a um hábito, sem estar possuído por um mecanismo.”

Sem comentários:

Enviar um comentário