terça-feira, 13 de abril de 2010

Sabedoria do Dalai-Lama


"A minha única religião é o amor."


Creio que amar pode, contudo, ser mais complicado do que à primeira vista possa parecer... uma atitude aparentemente de desamor pode ser, na verdade, uma atitude movida pelo amor... e, sobretudo, vice-versa, uma atitude aparentemente motivada por amor pode ter, na sua base, desejos egoístas... o que determina a natureza de uma atitude, segundo a filosofia budista tibetana, é o "kun long" de uma pessoa, por assim dizer, o estado geral da sua alma, do seu espírito.

Bem, mas se nos centrarmos na palavra "religião"... aí surgem os dogmas, as regras impostas do exterior, as "verdades" que não são alcançadas pelo trabalho espiritual e sim porque alguém que consideramos "superior" assim o disse... creio que todas as religiões têm na sua base ideias profundamente compassivas, mas depressa se tornam alvo do aproveitamento por parte de pessoas hipócritas que pregam a ética e praticam exactamente o contrário do que dizem. Creio que o mundo será um sítio melhor no dia em que não precisarmos de religiões para nos orientarmos, e tivermos a nossa própria bitola interior, as nossas práticas espirituais individuais e formos autónomos a esse respeito.. no dia em que não precisarmos de instruções para sabermos realmente praticar o amor...

Sem comentários:

Enviar um comentário