terça-feira, 18 de maio de 2010

Paulo Coelho – A Bruxa de Portobello

Págs.140 e 141

“Quando estou rodeada de um grupo de pessoas e decido provocá-las, usando uma das perguntas mais importantes da nossa existência, todas elas respondem: “Sou feliz.”

Eu continuo: “mas não deseja ter mais, não quer continuar e crescer?” Todas respondem: “É claro.”

Eu insisto: “Então, não é feliz.” Mudam todas de assunto.

(…)

Esqueça definitivamente a ideia de que um caminho é uma maneira de chegar a um destino: na verdade, estamos sempre a chegar a cada passo. Repita isto (…): “Eu cheguei.” Vai ver que é muito mais fácil estar em contacto com cada segundo do seu dia.”

2 comentários:

  1. Cada dia...é partir em novos caminhos...e todas as noites chegamos com novas aprendizagens...
    Beijo d'anjo

    ResponderEliminar
  2. Aqui está uma passagem em que eu acho que Paulo Coelho não é particularmente "feliz" :). Coloquei-a porque gostei da ideia subjacente, mas o pressuposto de que porque não se é feliz é que se evolui, acho que é um pressuposto desadequado, pelo menos à minha filosofia de vida. É de um estado de contentamento, positivo, que partem aprendizagens também elas positivas. Portanto, se eu soubesse que não teria por onde evoluir e que tudo era "perfeito" pessoalmente sentir-me-ia infeliz. Do meu estado de felicidade e contentamento, aquele que pretendo cultivar, faz parte a assumpção de que viémos cá para aprender e evoluir. O meu conceito de perfeição não é o de uma coisa acabada, muito pelo contrário! :)

    ResponderEliminar