quarta-feira, 19 de maio de 2010

Paulo Coelho – A Bruxa de Portobello

Pág.144

“(…) tentar, sempre que possível, fazer algo que não esteja de acordo com a realidade que nos rodeia.

(…)

Eu tinha a certeza absoluta de que ela me ia ouvir, principalmente porque fazia parte do tipo de pessoas que nunca renuncia a um desafio.

- Ensine as pessoas a serem diferentes. Só isso! – gritei, enquanto o táxi se afastava.

Isso é alegria. Felicidade seria estar satisfeita com tudo o que já tinha: um amor, um filho, um emprego. E Athena, da mesma forma que eu, não nasceu para esse tipo de vida.”

Sem comentários:

Enviar um comentário