terça-feira, 1 de junho de 2010

Paulo Coelho – A Bruxa de Portobello

Pág.235

“(…) combino os processos de cura doa antigos, a Tradição Arcana com as técnicas mais modernas da medicina actual – a Tradição de Hipócrates. Estou a escrever um tratado a respeito disso, e muitas pessoas da comunidade “científica”, ao verem o meu texto publicado numa revista especializada, vão ousar dar passos que no fundo sempre quiseram dar.

Não acredito que a cabeça seja a fonte de todos os males; existem doenças. Acho que antibióticos e antivirais foram grandes passos para a Humanidade. Não tenciono que um doente meu cure uma apendicite apenas com meditação (…). Enfim, dou os meus passos com coragem e medo, procuro a técnica e a inspiração. Eu sou suficientemente prudente para não andar a dizer isto por aí, caso contrário iam logo rotular-me de curandeira, e muitas das vidas que eu poderia salvar acabariam por ser perdidas.

Quando estou com dúvidas, peço ajuda à Grande Mãe. Nunca me deixou sem resposta. Mas aconselhou-me sempre a ser discreta, pelo menos em duas ou três ocasiões.

Mas ela estava demasiado fascinada com o mundo que começava a descobrir, e não ouviu.”

Sem comentários:

Enviar um comentário